Aditivos antimicrobianos no controle da Salmonela

1523907946.png

16/04/18 - Um dos grandes desafios da agroindústria é a produção de carnes com alto padrão de qualidade e eficiência produtiva. A presença de microrganismos patogênicos na avicultura, principalmente a Salmonela, pode resultar em contaminação da carne de consumo, com riscos de infecção e piora no desempenho das aves, e como consequência a redução da lucratividade do produtor. 

O gênero Salmonela é caracterizado por bactérias gram-negativas, anaeróbicas facultativas, com mais de 2,5 mil sorotipos, e que podem infectar o homem e os animais. As fontes de infecção nas aves são variadas, já que a Salmonela é amplamente distribuída na natureza. O consumo de alimentos contaminados é uma das mais comuns. 

 As aves se infectam pela via oral e a bactérias rapidamente chegam ao intestino, colonizando especialmente a mucosa do ceco. Posteriormente alcançam a corrente sanguínea e colonizam outros órgãos, como fígado, baço e ovários. 

Grãos e oleaginosas utilizadas para a produção de rações de aves podem ser contaminados ainda na lavoura pela poeira do próprio solo, através do vento, da chuva ou no processo de colheita mecânica. No transporte, armazenagem e processamento, outros vetores como pragas, insetos, roedores, aves selvagens, poeira e contaminação cruzada podem levar as bactérias até estes ingredientes. 

As farinhas de origem animal apresentam naturalmente um alto índice de contaminação por esse tipo de bactéria, já que a matéria-prima para sua fabricação, como vísceras, sangue, penas, ossos e outros resíduos de frigoríficos, favorecem o desenvolvimento microbiano. Falhas em seu processamento, produção e conservação não eliminam e podem favorecer o aumento dessa contaminação.

Além de efeitos clínicos, nas doenças tifo aviário, pulorose e paratifo aviário, as Salmonelas também causam efeitos subclínicos, afetando especialmente a saúde intestinal das aves, diminuindo o ganho de peso, taxa de postura e piora na conversão alimentar dos animais. Além das perdas econômicas, uma alta carga microbiana patogênica no intestino destes animais facilita uma posterior contaminação da carne e ovos, principal fonte de infecção humana. 

Uma opção viável para o controle e desinfecção microbiológica em farinhas, rações e farelos, é o uso de aditivos antimicrobianos, como os produtos à base de formaldeído, ácidos orgânicos como o ácido acético, ácido propiônico, ácido lático e ácido fórmico, além de sais orgânicos. Estes produtos, mesmo sendo aplicados em baixas concentrações (entre 0,1 e 0,5% na formulação), possuem ação comprovadamente eficiente contra a Salmonela e outros microrganismos, especialmente se utilizados em associação, ou seja, combinados num mesmo produto dois ou mais destes agentes. A BTA Aditivos possui uma linha completa de produtos com elevado poder de ação antimicrobiana, que age com eficiência possibilitando os melhores resultados. Saiba mais sobre nossos produtos clicando aqui.


Mais Notícias